Level Up! BMW G650GS \o/

G650GS RidingPois é, minha querida Ninja 250R foi vendida. E por bem menos do que eu esperava… É a vida.

A chegada da nova Ninja 300 teve grande parte da culpa. Mas tudo bem. Sem ressentimentos. Gosto DE moto, não DA moto.

Uma vez vendida, fui atrás do “upgrade”. Na lista estava a BMW G650GS, a Kawasaky Versys, a Suzuki V-Strom e a Honda NC700x

Comecei eliminando. A NC700x é o lançamento enfia-faca da Honda. Nada contra a moto, pelo contrário, é a primeira da lista. Até o dia que cotei o seguro. Praticamente 1/4 do valor de uma zero. UM ASSALTO! Estou cotando uma Trail, não uma Hornet! Se ainda fosse a crosstourer

Depois foi a V-Strom. Confortável, mas grande demais. Só pegaria se estivesse completa e a um bom preço. Fora que já se sabe que tem um modelo novo dela lançado em 2011!!! “Valeu”, J. Toledo!

Aí veio a Versys. Preço legal e motor mais legal de todos. Nunca gostei do acabamento da carenagem, mas não era um impeditivo. Mas é difícil encontrar uma com as malas. E nelas gastaria um valor razoável.

Por fim, a G650GS. Conforto extremo com única ressalva do motor ser o mais fraco e o que mais vibra das 4. Além de ser só 5 marchas. Mas tinha algumas vantagens. Extremo conforto, ABS e cavalete de série além do menor seguro da categoria. O prêmio de uma zero fica 1/17 do valor segurado (1/14 no caso da minha 2o10)! E encontrei outra vantagem. O modelo “antigo” Geração 1 (G1) tinha o mesmo mal da minha Ninja: Desvalorizou muito com o modelo novo, mas jamais deixou de ser uma excelente moto por isso (e com 3L a mais de tanque).

E procurando nos sites Moto, WebMotors e no MercadoLivre, encontrei esta G vermelha com apenas 7000 e TODAS as malas originais Vario BMW. Encontrei o dono. Mesmo sabendo que estava barato, barganhei pra fechar na hora mas ele não diminuiu. Então disse que ia ver uma Versys antes de fechar (verdade, e fui). Lógico que a Versys não compensou tanto quando a G1 (mas tentei…). Liguei pro dono e fechei na motoca.

Minhas impressões em 3 meses de uso

Salvo as limitações que já conhecia, a moto é fantástica. As malas originais VALEM a pena. Retirando-as, os suportes ficam imperceptíveis e ela tem uma arrancada fenomenal. Minha média na estrada foi 28km/l e 23km/l na cidade. Fora que Pneu misto + ABS na chuva não tem comparação com o sofrimento que tinha com a Ninja. Suspensão nem se fala. Agora eu TENHO suspensão. Buraco e bueiro não assusta mais.

E graças à economia por não ter pego uma zero, pude investir em algo mais permanente. Um curso Off-Road. Iria fazer o BMW Rider Training após ler e assistir a excelente matéria e vídeo no Moto’s Blog. Porém estavam fechando agenda de 2013. Daí resolvi pesquisar e encontrei um que me pareceu mais vantajoso, o Centro de Treinamento Offroad Moto Atacama, que me inscrevi e farei o curso de dois dias agora nos dias 2 e 3 de março para um projeto que vai ficar pra outro post.

Assim finalizo o primeiro post de 2013. Com nova moto e novo design do Blog.

Anúncios

6 comentários

  1. Jorge · · Resposta

    Muito bom…. Voce foi a fundo em suas pesquisas antes de fechar o negócio. Parabéns pelo post.

  2. Excelente matéria, Felipe! Parabéns pela aquisição e pelo review!
    Bora marcar uns passeios na terra agora! hehehe

    1. A gente precisa mesmo. Qual o próximo marco da Riffel Explore? hehehe

  3. Normando · · Resposta

    Felipe, lí praticamente tudo do seu blog. Muito bons e verdadeiro os seus relatos. Parabéns e obrigado por compartilhar. Indo direto ao ponto: A vibração da GS. Eu tive uma 2005, modelo alemão, praticamente nova. Foi uma alegria quando comprei mas fiquei muito decepcionado com a vibração do motor, especialmente a partir dos 115km/h. Os espelhos tremiam dificultando a visão, incomodando bastante. Justamente na velocidade mais indicada para cruzeiro, entre 120/130 km/h. Conclusão: vendí a GS. Nunca experimentei outra então não sei se esse modelo nacionalizado “sofre desse mesmo mal” . Gostaria se possível, que comentasse a respeito. Obrigado. Normando.

    1. Que bom que gostou.
      Quanto a vibração, realmente é isso. Tanto nos espelhos como na estabilidade. A 120k/h se eu puxo a embreagem pra não passar vibração, o conjunto é perfeito. Não é de ser feito lá ou aqui. É de ser só um cilindro. Não tem milagre. Vou usar bastante essa aí e sem dó com problemas estéticos, etc. Sabia disso. E quando trocar, vou evitar ao máximo.

  4. Willian Machado · · Resposta

    Olha eu vindo em 2016 reviver seu post! rsrsrsr

    Estou na mesma realidade que você estava, tenho um a Ninja 250 11/11. Ultimamente estou me sentindo incomodado com a vibração em alta da ninjinha, além que a suspensão dura esta acabando com minhas costas!

    Estou na dúvida CB500x ou G650GS

    Como foi sua adaptação na troca de categoria de moto? Com relação a vibração, se sente incomodado? Na ninja a 120km/h as vezes sinto as mãos e pés formigarem. Sei que as monos vibram mais, mas minha expectativa é que devido ao motor maior, a faixa de velocidade, pra vibração se tornar um incomodo, seja maior.

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: