Curso Offroad – CTO Moto Atacama

Nada mais natural para alguém que acabou de adquirir uma Big Trail começar a fazer roteiros por terra. Também nada mais natural querer se prevenir, já que qualquer coisa sem asfalto é território desconhecido para este piloto.

Curso-1

Meu treino de Slalom (©2013 – CTO MotoAtacama)

E justamente por esse motivo fui atrás de um curso. Mas ao contrário dos “on road” os offs são mais difíceis de se encontrar. Fácil é achar de Motocross ou trilha para motos leves, feitas pra correr na terra. Bom, graças ao Motos Blog conheci o BMW Rider Training Offroad que foi muito bem indicado. Entrei em contato com eles final de Janeiro e estavam “Fazendo Agenda”.

Pena pra eles, ótimo pra mim, pois graças ao “São Google” pelo Youtube, encontrei, assisti, gostei do programa e me inscrevi (lógico, após uns dias de estudo e pesquisa pra ver se não era uma furada) no Centro de Treinamento Offroad – MotoAtacama.

O custo era praticamente o mesmo do BMWrto. Com a diferença que seriam DOIS dias de curso. O programa de ambos era muito parecido, mas o CTO tem o dobro de horas. Outra coisa, no BMW você usa (e cai) com a moto deles. Neste será com a sua (mas tem a opção de alugar).

Claro que os professores são um bom diferencial para cada curso. Só tem um problema, não conhecia os de nenhum! Solução: Curículo. E o Jean Azevedo ser corredor do Rally Dakar e do Rally dos Sertões ajudou bastante.

Chegado o dia, a breve aula teórica também apresenta a equipe do curso e também o objetivo deles de “Ser o melhor curso offroad para bigtrails do Brasil“. Bom, não sou ninguém pra dizer se são ou não, mas posso dizer que, dos que encontrei, são sim.

Achei os módulos bem divididos. Os mais desgastantes ficam no primeiro dia, que você sai acabado (e querendo mais aula teórica, uma rede, comida…). O segundo dia é mais técnico, existe um “respiro” entre os exercícios para serem estudados pelo próprio aluno entre cada tentativa, o que me fez melhorar a cada passada (ou descobrir se passei por pura sorte nas primeiras) até conseguir aplicar a técnica.

Travessia de desníveis, pedra, areia e água. (©2013 - CTO MotoAtacama)

Frenagem, posicionamento, travessia de desníveis, pedra, areia e rio. (©2013 – CTO MotoAtacama)

O último exercício é a travessia do rio. Dois motivos: Pra chegar lá já é um sufoco. Grama alta e depois subidas e descidas com terra e pedras soltas… com curva! Sério, se jogassem isso logo de cara eu ia cair lindamente. Depois de “viciar” na pista, este caminho novo faz você ter certeza de que o curso funcionou (pelo menos um pouco). O outro motivo? Se a moto cair e entrar água no motor, Game Over! É a vida.

©2013 - CTO MotoAtacama

Toques durante todos os exercícios (©2013 – CTO MotoAtacama)

Uma coisa boa é que toda a equipe do CTO (O Jean, o Abu e o Juliano) se esforçam pra que você aprenda mesmo.

Quando tinha uma dificuldade, um deles me chamava, ajustava o posicionamento ou fazia algum treino especifico para consertar a dificuldade “X” que estava tendo no exercício “Y”.

O exercício mais difícil pra mim foi o Slalom durante a Descida Controlada (na verdade continua sendo). Eu não teria completado (bem mal, mas completei) se não fosse a ajuda do Jean. O mesmo vale para o que cai, que foi o de Frenagem (alicatei travando a roda… DUAS VEZES). Fato: somar vários comandos de uma vez requer MUITAS horas de treino até automatizar.

Certificado \o/ Não que um pedaço de papel vai me fazer melhor ou pior piloto. (©2013 - CTO MotoAtacama)

Certificado! Pra lembrar de tudo que passei nesses dias. (©2013 – CTO MotoAtacama)

Após o rio o Jean pega individualmente cada um e foca na dificuldade específica de cada aluno. (No meu caso, as duas maiores).

Se valeu a pena? Cada centavo, cada dia e cada obstáculo! Se alguém está em dúvida, o curso esta recomendadíssimo! Você aprende e vê o resultado no próprio curso. Mas a grande questão é: Faça um curso. Estude! Não aprenda caindo.

Agora da pra fazer uns passeios offroad com mais segurança. Passar sufoco sem necessidade não compensa.

DICAS FINAIS:

  1. Se puder, tire a bolha e os piscas. A moto foi feita pra cair, mas retirando estes 5 itens você já garante tranquilidade numa queda mais forte.
  2. Não pense em superproteger a moto. Tem uma linha tênue entre autoconhecimento e ultrapassar o limite dela. Cada um precisa descobrir a sua. Mas se tentar proteger demais a moto, o prejudicado é seu aprendizado. Você que escolhe.
  3. Use equipamento de segurança completo! Por sorte ou azar, o pino que sustenta a mala comprimiu meu tornozelo no chão durante uma queda. Se não fosse minha bota que tem uma tornozeleira razoável, certamente teria uma fratura grave! O pino da mala chegou a entortar.

E não tem como não finalizar este post sem agradecer toda a equipe do CTO MotoAtacama. Preparar um curso “é fácil”, mas a chave esta em querer ver os alunos serem pilotos realmente melhores. Tenho certeza de que a cada turma o programa será aperfeiçoado e também torço para lançarem passeios de treino, “Dirt-Days” e outros módulos.

Anúncios

7 Comentários

  1. Excelente post Felipe, realmente ter treinamento faz uma ENORME diferença na hora de enfrentar a terra.
    Sobre suas dicas, realmente são legais… Mas eu daria um pouco mais de foco a questão do “desapego”. Realmente, ninguém gosta de cair com a moto, mas ficar lustrando e tentando evitar a queda a todo custo é uma preocupação que só atrapalha… O jeito é realmente relaxar e aproveitar… E depois, se for o caso, consertar os estragos.

    A boa notícia é que raramente algum dano sério é causado no off-road! Tirando “as pontas” da moto (piscas, bolha, etc) a chance de ter algo danificado é ainda menor.

    Parabéns pelo curso e pelo review. E agora bora planejar algo na terra! hehehe
    T+

    1. Com ctz. O que quero mesmo após julho é pegar a estrada real. Se não rolar a viagem inteira da pra acompanhar o começo pelo menos ^_^

  2. Muito bom! Agora é só pegar a estrada real e por tudo em prática. Eu fui e adorei!

  3. Legal Felipe! Eu “quase” fui fazer esse curso neste fim de semana… sou do interior do RJ e o mau tempo me fez adiar pro fim mês que vem. Mas é muito bom saber notícias boas sobre esse curso, saber que vale o investimento! Obrigada por compartilhar sua experiência!

  4. Muito legal sua experiência e narrativa, Felipe! Sem dúvida qualquer curso offroad é um diferencial enorme para a pilotagem, inclusive onroad! Vc perceberá maior auto-confiança mesmo quando pilotar onroad, decorrente deste treinamento.
    Eu sou instrutor offroad, e recomendo aos meus alunos que façam não só o meu, mas também outros cursos offroad, pois aprendizagem é sempre válida! Abraçao, Tomaz Bueno

    1. Isso mesmo Tomaz. Ja havia feito o de pilotagem preventiva do Tite – SpeedMaster. Quero fazer um dia o da BMW. É mais caro, mas tem a “vantagem” de você usar a moto deles. E alternar entre a R1200GS e a F800GS, sem medo de detonar a sua.

      1. E venha tbm conhecer meu curso. O pessoal do fórum da G650GS já veio em alguns cursos…
        As aulas rolam em Cotia SP. Abração!!!
        Tomaz Bueno

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: