Perdi meu passaporte no exterior, e agora?!

Maleiro do trem - Estação de Shinjuku, Tokyo

Maleiro do trem – Estação de Shinjuku, Tokyo

No meu caso, duas mochilas esquecidas no maleiro trem com: passaportes (meu e de minha namorada), passe de trem comprado pra toda viagem (JR PASS), algum dinheiro e itens pessoais. O suficiente para acabar com o roteiro que planejamos!

ATENÇÃO: se acabou de acontecer com você e quer saber dos procedimentos para um novo passaporte, corra já pra parte do “O que fazer para tirar um novo passaporte no exterior”.

Como foi?

Estávamos mudando de hotel e pegamos o trem para o próximo destino, fazendo baldeação na enorme estação de Shinjuku.
Hora do rush. Estávamos com duas mochilas e uma mala com a roda quebrada. Os trens possuem uma parte superior para deixar as mochilas. Deixamos lá e seguramos a mala. Chegamos na estação e em dois empurramos a mala quebrada pra fora do trem. Saímos do vagão. A porta se fechou. O trem começou a andar e minha namorada gritou “AS MOCHILAS!!!”.
Não, nem um pouco legal quando é com você!

Atrás das mochilas (1º Dia)

Primeira coisa foi correr atrás de um funcionário explicando minimamente em “japengrish”. Eles indicaram a central de comunicação da linha (a da estação ficava a uns 5 min a pé de onde estávamos).
Nos pediram e indicamos o vagão (errado, por confusão) de onde estavam as mochilas. Checaram na próxima estação. 15 minutos e o recado: “Not Found” (não encontrado).
Passamos o vagão certo. Checaram na volta. “Not Found”.
Aguardamos notícias por cerca de 2h. As mais tensas de toda a viagem.

Não encontraram.
Nos indicaram para a central de atendimento da estação (inglês). Lá relatamos o ocorrido. De lá, registrar o ocorrido no achados e perdidos. Eles traduziram para japonês nosso caso em um papel para entregarmos lá.
DETALHE que não entendemos e fizemos depois: um aviso (reclamation) por telefone para a JR do sumiço das malas. Os achados e perdidos da JR são interligados. Mas temos que formalizar com nossos dados e um contato nosso para, caso encontrem, nos chamarem para buscar. Passamos um contato que tínhamos no Japão.

Demos as malas como oficialmente perdidas e iniciamos as medidas para um novo passaporte. Ligando para o consulado e tivemos o processo explicado:

O que fazer para tirar um novo passaporte no exterior

Após ligar para o consulado de Tóquio descobri que estavam fechados! (Abrem das 9h as 13h)
Porém nosso seguro de viagem passou o telefone direto de um plantão lá. Então me passaram as seguintes instruções:

  1. Ir na polícia fazer o Boletim de Ocorrência da perda. Ele deverá ser levado para o consulado posteriormente.
  2. Passar por fax (não poderia ser email) cópia do RG (ou carteira de trabalho), CPF, Reservista e certidão de nascimento para o consulado. Depois telefonar e confirmar o recebimento.
  3. Confirmado o recebimento, devemos ir ao consulado solicitar o novo passaporte. A taxa é dobrada e já nos alertaram para o “susto” antes (cerca de R$500,00).
  4. Após o processo, o passaporte fica pronto em até 5 dias úteis. Então devemos retornar ao consulado para retirá-lo.

Por sorte nossa, tínhamos TODOS os nossos documentos juntos na minha casa. O fax foi enviado após poucas horas do meu telefonema através de uma agência dos correios do Brasil por “módicos” R$82,00.

Atrás das mochilas (2º Dia)

No dia anterior fizemos o contato com o Brasil e os documentos foram enviados. Aguardaríamos o horário de abertura do consulado no dia seguinte para confirmar o recebimento e já iniciar todo o processo de emissão de um novo passaporte.

Fomos jantar. E ao voltar recebemos a mensagem de nosso contato no Japão. ACHARAM! Uma das malas pelo menos. Passaram um código de 6 dígitos e pediram para irmos buscar na estação de Chiba, que ficava a 40min de trem de Tóquio (como foi parar tão longe?!!).
Bom. Uma mala é melhor que nenhuma. Tinha esperança de que quem achou as duas ficou com o de valor mas deixaram os documentos.

Dia seguinte fomos de Kawaguchiko para Shinjuku. (Hotel já reservado. Era mais barato ir e voltar do que pagar a reserva e procurar um hostel em tokyo).
Em Shinjuku, antes de pegar o trem para a estação que as malas estavam, fomos no achados e perdidos de lá confirmar a informação. E eles nos confirmaram o código de 6 dígitos, que na verdade eram dois códigos de 3! Uhulllll duas malas. Vamos para lá.

Achados e perdidos da estação JR Chiba

Achados e perdidos da estação JR Chiba

Achados e perdidos da estação JR Chiba. Passamos o código. Nos mostraram as malas e os passaportes. Porém não podíamos tocálos ainda. Assinamos um papel que compararam com as assinaturas no passaporte. Aí sim nos entregaram as malas e formalizamos o fim do processo.

Estava TUDO lá. Intocado. Salvo o passaporte que pegaram devido a gravidade do caso (normalmente não abrem as mochilas encontradas). Se tivesse acontecido no Brasil acho que nem os passaportes eu encontraria novamente. OBRIGADO JAPÃO \o/
NOTA: Sei que não se pode generalizar. Tanto eu como muitos outros, se encontrasse uma mala assim faria o possível para encontrar o dono ou deixar com os funcionários da estação. Só ainda custo a acreditar que isso seja regra geral onde impera a Lei de Gérson.

O caminho da mala: Como foi parar tão longe? Bem, a malha ferroviária do Japão é imensa e muitas linhas possuem comboios diversos (local, expresso, etc.) O nosso comboio mudou de linha. Na estação final, após a mudança de rota, acharam as malas e registraram no achados e perdidos. Ele centraliza as informações no fim do dia. Nessa combinação de informações bateram a de nossas mochilas perdidas com as encontradas. Nisso entraram em contato para buscarmos.
O incrível é que elas viajaram várias estações e ficaram intocadas até o ponto final. Em plena hora do rush.

Final Feliz: Achamos nossas mochilas e continuamos viagem com esta aventura pra contar. Nosso prejuízo no roteiro foi mínimo já que neste dia garoou em Kawaguchiko.

E depois dessa, qualquer viagem fora do Mercosul vamos deixar preparado no Brasil o:

Kit Consulado

Um kit pra facilitar a família no país de origem e dos viajantes para separar a documentação.
Consiste em deixar numa pasta os seguintes itens:

  • RG (ou Carteira de Trabalho)
  • CPF
  • Reservista (para quem tem)
  • Certidão de Nascimento/Casamento
  • Telefones, fax e endereços dos consulados de onde viajará
  • Apólice e contato do seguro-viagem (Se contratado)
  • R$ 100,00 (para pagar o fax de 2 pessoas)

Guarde tudo em uma pasta e dê para uma pessoa capaz de te atender e enviar com facilidade.
Pronto. Este kit já elimina uma boa dor de cabeça caso tenha que reemitir seu passaporte no exterior.

Anúncios

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: